Arquivo de Fevereiro, 2007

A opção pelo aeroporto da Ota não está em causa e a realização de uma avaliação custo/benefício é «um procedimento obrigatório» previsto há mais de um ano, segundo o Ministério das Obras Públicas

A edição do Jornal de Notícias de hoje refere que o Governo encomendou um novo estudo sobre o aeroporto da Ota, afirmando que o estudo foi pedido depois de alertas do Presidente da República, Cavaco Silva, durante a campanha eleitoral.

«Não se trata de um novo estudo. O consultor financeiro começou a trabalhar com a NAER (Novo Aeroporto, S.A) em Dezembro. Entre os trabalhos que vai realizar está a avaliação do custo/benefício, obrigatório para qualquer candidatura a fundos comunitários», esclareceu à Lusa fonte do gabinete do ministro das Obras Públicas, Mário Lino.

A mesma fonte acrescentou que a contratação do consultor financeiro já estava prevista em Novembro de 2005, sublinhando que «não está em causa a opção Ota».

O Jornal de Notícias recorda que durante a campanha eleitoral para as presidenciais Cavaco Silva tinha manifestado dúvidas sobre o projecto da Ota, referindo que estes investimentos, mesmo não existindo restrições orçamentais, «só devem ser realizados se a totalidade dos benefícios sociais, ao longo da vida dos projectos, for maior do que os respectivos custos sociais».

O alerta de Cavaco Silva, escreve o matutino, foi na «altura recebido em silêncio em São Bento», mas «acabou por fazer caminho», com a encomenda do estudo, feita em Dezembro, comenta.

A notícia do JN que surge um dia depois de no Parlamento o líder parlamentar do PSD, Luís Marques Guedes, ter proposto a criação de uma comissão eventual para avaliar a necessidade e alternativas à Ota.

[(c)Lusa/Sol – 08 FEV 07]
Anúncios