Arquivo de Dezembro, 2006

Manuel Monteiro planeia escrever uma carta ao Presidente da República (PR), Cavaco Silva, a solicitar-lhe que se pronuncie sobre o aeroporto da Ota, anunciou sábado o líder da Nova Democracia

«Depois de tomar posse, o Presidente da República disse que tinha dúvidas quanto à Ota, atendendo ao volume do investimento. Como de um momento para o outro nunca mais abordou a matéria, ou se calou por entender que não deve contestar uma opinião do Governo, ou entretanto o Governo lhe fez chegar algum estudo demonstrando que as suas dúvidas não faziam sentido», afirmou Manuel Monteiro.

Em declarações à Agência Lusa, à margem do jantar de Natal da Nova Democracia em Santa Maria da Feira, disse ainda que vai enviar uma outra carta aos membros do Governo, incluindo o primeiro-ministro, José Sócrates, «para saber a quem pertencem os terrenos onde será construído o futuro aeroporto e quando é que foram adquiridos».

A Nova Democracia vai, por outro lado, solicitar a criação de uma comissão parlamentar para investigar todo o processo tendo em vista a construção deste equipamento.

«Não nos vamos calar em relação a esta matéria. Caso o poder político não nos dê uma resposta cabal, ponderamos a possibilidade de vir a solicitar ao Procurador-geral da República um inquérito sobre o novo aeroporto», disse Monteiro, exigindo «transparência ao nível dos negócios do Estado».

O líder do PND quer que o tema “Ota” volte a ser discutido na Assemblei a da República e lembra a petição “com 4.500 assinaturas” que enviou, em 2005, a o hemiciclo.

«Que interesses ocultos existem, levando os partidos políticos com assento no parlamento a estarem calados sobre esta matéria?», questionou.

Manuel Monteiro reservou o dia de hoje ao norte do distrito de Aveiro. Almoçou com membros da sua direcção em S. João da Madeira, seguindo para o vizin ho concelho de Santa Maria da Feira onde se realizou o primeiro Conselho Geral a pós o 3º Congresso da Nova Democracia. Este órgão, que aprovou o programa da direcção do partido, analisou ainda a situação política actual.

À noite, participou no jantar de Natal, «já na sua terceira edição», que reuniu cerca de três centenas de pessoas.

[(c)Sol/Lusa – 17 DEZ 06]